domingo, 27 de março de 2011

do fundo do baú ...

Gente, descobri uma coisa que eu tinha escrito em 2008, e eu estava em uma deprê de morrer! (graças a Deus passou haha), enfim, estava lendo isso agora e descobri que tem coisas que estão servindo pra este momento, claro que depois de certos ajustes por conta dos exemplos citados em 2008 que ão se encaixam mais, afinal 3 anos atrás.. muitas águas já rolaram!
Cheguei a conclusão de que as coisas acontecem na hora certa, por pior que elas sejam. Ás vezes estamos nos descabelando por certos problemas ou coisas tão desnecessárias, o que só nos leva o fundo do poço a mais desespero. Já parou pra pensar que devemos tirar de lições do que passamos para avaliar cada um de nossos defeitos e tentar amenizá-los, já que certas provações não são dadas, elas podem servir pra alguma coisa.
Muitas vezes nos empolgamos e queremos “falar mais que o homem da cobra” e para que esse exagero todo?! A vontade de agarrar o mundo é maior que o corpo todo, e a boca já não dá mais conta de nada, é neste ponto onde tudo desanda, são nessas horas que falamos o que não devemos, como se fosse uma avalanche da língua. Certa vez ouvi de uma pessoa nada famosa, mas super especial que      “ tudo que é demais é muito” devemos saber ponderar as coisas, eu sei muuuito bem que falar é maravilhoso e que diversas vezes é difícil controlar a língua e fechar a matraca, e esse é só um exemplo prático desses certos exageros cometidos por seres humanos e por sinal, é um dos meus exageros preferidos.
Juro que eu tento me conter, mas sabe como é as vezes transborda e pronto!
PS.: o excesso é vício da raça, e todo vício pode ser tratado….
Depois de um domingo em família e certos acontecimentos começei a pensar sobre relacionamentos (me refiro a homem e mulher) e me perguntei porque será que muitas vezes somos BLOQUEADOS a assumir interesse por alguém, vontade de estar com aquela pessoa…. e fui chegando a minha conclusão (que por sinal é sempre firme, e que hoje me gerou certas ‘complicações’, ok ass. para próx. post).
Depois de certas experiências, ficamos vulneráveis a qualquer tipo de situação, o que gera medo e isso na minha visão muitas vezes acontece por conta de relacionamentos mal sucedido e que terminam de forma não muito agradavél por conta de desentendimentos, de falta de atitude do parceiro enfim, o que pode acarretar em diversas situações pós término de relação que só deprimem e amedrontam uma ou ambas as pessoas do relacionamento.
E depois para iniciar um novo relacionamento é aquela barra, e isso acontece pelo que eu disse no início do texto, pelo fato de não assumirem para si mesmo o interesse pela outra pessoa. Enfim, eu ainda não descobri a cura para isso, só acho que a melhor coisa a fazermos (sim, eu me incluo nessa rs) é realmente deixar as coisas acontecerem, e se rolar, rolou!
mas tem que rolar de verdade, de peito aberto!
Let’s try  rs rs